21/08/2008

Escrever Cartas


Quando foi a última vez que você escreveu uma carta? Digo carta mesmo. Não um e-mail, mensagem ou torpedo. Conheço pessoas que nunca escreveram ou receberam uma carta. É pena, pois elas não sabem o prazer que dá receber uma carta pelos correios.

Pensei nisso ontem após a leitura da correspondência que Rubem Braga, Fernando Sabino, Guimarães Rosa e outros escritores mantiveram com a Clarice Lispector. Fiquei emocionada ao ler as cartas de Clarice para seu filho, na época um adolescente fazendo intercâmbio nos Estados Unidos. Ao mesmo tempo que me emocionava, me sentia também um pouco invasora da privacidade da escritora. As cartas da Clarice estão em exposição no Centro Cultural Banco do Brasil até setembro para quem quiser lê-las.

Tenho uma querida amiga que ainda escreve cartas. Sei que parece incrível, mas nos dias de hoje ainda há pessoas assim. E como é bom receber suas cartas. Geralmente são várias páginas recheadas de notícias. É prazeroso ver a sua letra tão regular e harmoniosa no papel. E imagino o tempo que ela levou pensando em cada palavra, selecionando o que ia ou não ia me contar. Tento manter essa correspondência; embora mais demorada, sinto que nos ajuda a continuar a amizade apesar da enorme distância geográfica. É claro que tenho também os amigos que escrevem longos e-mails (eu mesmo o faço) e fico feliz quando isso acontece.

Mas, acho que há algo das cartas que se perde na rapidez dos e-mails. Não sei bem. Talvez justamente a lentidão, o escrever à mão, o refletir das idéias, o tempo empregado... Ou talvez o fato de saber que naquele papel escrito que viajou quilômetros e mais quilômetros há algo de concreto da pessoa que escreve. É como se um pedacinho dela tivesse vindo nos visitar. Mas, claro, vivemos numa época de urgências e as notícias precisam circular com rapidez. Mas será que a velocidade é sempre preferível? Será que as cartas já não têm mais razão de ser?

É interessante notar que ainda escrevemos cartas quando se trata de assuntos comerciais. Embora muitas vezes elas sejam enviadas por e-mail.

Central do Brasil
http://www.youtube.com/watch?v=pd_IWrvIaXc

Boss Ac, rapper português/caboverdiano
http://www.youtube.com/watch?v=w5GbjuXxTyc

3 comentários:

JoVeNiLdOsSs disse...

Oi! estou fazendo um documentário sobre CARTAS! neste ano, para o meu trabalho de conclusão de curso da faculdade, pesquisando sobre isto ahcei seu blog! muito legal! rá, nosso maior desafio tem sido levantar essas pessoas que ainda escrevem carats! dificil viu!

Janaína Pietroluongo disse...

Olá Jovenildo,

Obrigada por sua visita e comentário. Eu concordo...hoje em dia, infelizmente, pouca gente tem paciência para escrever cartas, mandá-las pelos correios. Mas, ainda bem que temos a internet, não é mesmo. Há aqueles que escrevem longos e-mails.

Saudações,

Jana

Renata disse...

Eu sempre gostei muito de escrever cartas, desde antes de ter computador em casa (e não sou tão velha assim!). A correria fez com que eu perdesse contato com todos os meus correspondentes, e agora que tento retomar, simplesmente não encontro pessoas dispostas a se dedicar a uma amizade por correspondência. E concordo com você, uma carta deixa um sentimento gostoso, muito diferente de um email longo, e e´difícil dizer a diferença e por isso ainda ouço gente me perguntando com desprezo por que eu ainda envio cartas, se o email é tão mais rápido...