20/11/2011

Mia Couto

Um poema desse grande escritor Moçambicano.

Fui Sabendo de Mim

Fui sabendo de mim
por aquilo que perdia

pedaços que saíram de mim
com o mistério de serem poucos
e valerem só quando os perdia

fui ficando
por umbrais
aquém do passo
que nunca ousei

eu vi
a árvore morta
e soube que mentia


in "Raiz de Orvalho e Outros Poemas

2 comentários:

carmen rodriguez e rodrigues disse...

lindos versos.engraçado,ao contrario de mia couto,sempre tenho a impressão que sempre que perco,esqueço de mim.acesse Poesias carminhapoesianafronteira@blogspot.com

Maíra da Fonseca Ramos disse...

Perfeito, a gente acaba se definindo mais pelo que efetivamente não é...